quarta-feira, 16 de maio de 2012

Ouro de Tolo


Eu devia estar feliz pelo Senhor
Ter me concedido o domingo
Prá ir com a família
No Jardim Zoológico
Dar pipoca aos macacos...

A letra acima é da música Ouro de Tolo de Raul Seixas. O "maluco beleza" não era cristão, apesar da referência ao Senhor nessa canção. Mas há algumas coisas interessantes nessa canção que tem muito a ver com o comportamento de alguns cristãos. Não se espante! Observe o que Raul diz: "eu devia estar feliz pelo Senhor ter me concedido o domingo" - em primeiro lugar, ele confessa que deveria sentir-se feliz pelo domingo como dia de descanso concedido por Deus, mas não está. O que isso tem a ver com alguns crentes? Explico. Muitos deveriam sentir-se felizes pelo domingo como uma dádiva divina, mas como Raul, eles não manifestam nenhum espírito de gratidão a Deus por isso. Aliás, não entendem o propósito divino do domingo. 

Depois, perceba que para Raul o domingo é o dia de ir com a família ao zoológico, um dia aprazível de laser, nada além disso. E o que isso tem a ver com alguns crentes? Explico. Para muitos crentes, assim como para Raul, o domingo é um dia para a família, não para Deus. Eles até podem ir aos cultos, mas só se não tiverem nenhum outro compromisso mais interessante. É lastimável, mas muitos crentes faltam aos cultos para as mais diversas atividades. Porventura não incorremos em erro ao desprezarmos o culto ao Senhor por atividades que consideramos mais prazerosas? O que dá mais prazer a um cristão do que cultuar a Deus? 

Seja lá o que for que você considera mais prazeroso do que cultuar a Deus, isso é ouro de tolo. Muitos trocam a mesa de Deus pela mesa do McDonalds. É claro que não ficarão impunes. Tudo que o homem plantar, isso ceifará! Vamos combinar uma coisa: 

1. O domingo é uma dádiva divina. 
2. O domingo não nos pertence, mas pertence a Deus. 
3. Não falte aos cultos.